Gra
na
Pre
tta

Porque educação financeira para mulheres negras ? 

Base da cultura, da economia e da herança africana, a mulher negra, que historicamente, é a fonte do sustento das famílias brasileiras, ainda nos dias atuais não tem sua capacidade e talentos reconhecidos. Seguimos na base da pirâmide social.

Entre  2004 a 2014 a renda das mulheres negras ainda não correspondiam a 40% da renda dos homens brancos.  O mesmo levantamento  também mostra que as trabalhadoras negras são mais suscetíveis ao desemprego e que 39,08% das mulheres negras ocupadas estão inseridas em relações precárias de trabalho. (Fonte Pesquisa Mulheres e Trabalho, realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA).

Estes dados  comprovam que a condição de trabalho da mulher negra em pleno século XXI não é muito diferente do cenário vivido pelas negras escravizadas durante os 400 anos de exploração no Brasil.

Vamos virar esse jogo!

Últimos Posts

uma puxa a outra
Destaques
Mônica Costa

Uma puxa a outra

Iniciativa promove a inclusão de mulheres negras no mercado de trabalho O Indique Uma Preta é uma rede de apoio, empregabilidade e desenvolvimento profissional para

We can be all we want to be
Destaques
Mônica Costa

Um turbante, um império

E um bom exemplo de sucesso para reforçar ainda mais a necessidade então das mulheres e finanças é o da Michelle Fernandes, fundadora da Boutique

Quem escreve

Monica Costa grana pretta

Mônica Costa, mulher negra, Jornalista, Educadora Financeira, mãe do Pedro e da Ayana e defensora de um mundo mais justo equânime e livre.
Tenho pós graduação em jornalismo econômico pela PUC- São Paulo e em Educação Financeira pela Universidade Oeste Paulista. Também  estou fazendo um levantamento bibliográfico para uma tese de mestrado que quer abordar a presença da mulher negra na construção da economia do Brasil – tema que certamente renderá muitos subsídios para discutirmos neste espaço