Antirracismo por assinatura

Antirracismo por assinatura

A Pretaria Black Box entrega conhecimento para vencer o racismo


Qual é a melhor estratégia contra o racismo, o preconceito e a intolerância? O conhecimento. Esta é uma premissa defendida por todos que acreditam na força da educação para transformação social. E foi este um dos propósitos que levou a especialista em direitos humanos Mirtes Santos a criar o Pretaria BlackBooks, primeiro Clube de Assinaturas Antirracista do País. “Acreditamos que o incentivo à leitura seja um caminho para que a sociedade brasileira reconheça suas origens africanas e ameríndias e busque valorizar suas histórias e memórias culturais”, diz Mirtes, quilombola do Angelim, em Conceição da Barra, norte do Espírito Santo e Mestra em Direito e Sociologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF), no Rio de Janeiro.

Quantos escritores negros e negras você conhece?

São muitos e talentosíssimos, como já mostramos no artigo: “Criatividade e valentia sustentam as editoras negras do Brasil “ aqui no Grana Pretta. Entretanto, a Câmara Brasileira de Livros, aponta que há atualmente cerca de 25 clubes de assinaturas de livros no Brasil, com um total de 2 milhões de assinantes, mas nenhum deles foca na literatura produzida por escritores negros e negras que abordem temáticas relacionadas às questões raciais, racismo ou práticas antirracistas.

Por isso o clube Pretaria BlackBooks ganha ainda mais protagonismo e inovação pela sua proposta literária. “Nosso trabalho é pioneiro e totalmente desenvolvido por mulheres negras, ativistas e intelectuais, pesquisadoras das literaturas e das relações étnico-raciais no Brasil e no mundo”, conta.

E neste sentido, o Clube Pretaria está buscando novas parcerias com editoras e autores interessados em fortalecer as publicações de  autoria negra e antirracista, muitas vezes colocadas de lado nas prateleiras das grandes livrarias, isso quando estão lá.

Esta iniciativa é fundamental em um mercado editorial  que não destaca escritores ou editoras negras. “Queremos dar visibilidade a autoria negra, principalmente para escritores desconhecidos ainda do grande público, mas que tem contribuído muito para o combate ao racismo por meio da literatura”.

Criatividade e inovação, claro!


O Clube nasceu em 25 de julho de 2015, exatamente no dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha. Entretanto, a plataforma online www.pretaria.com.br foi lançada em agosto de 2019 com o apoio de um financiamento coletivo no site Benfeitorias. E já no mês de dezembro de 2019 a Pretaria estreou com a entrega de mais de 200 livros para 157 assinantes no Brasil e no exterior.

Assim, a primeira BlackBox trouxe uma fundamental obra do escritor cubano Carlos Moore, Racismo & Sociedade (2012), que possibilita ao leitor uma compreensão das raízes epistemológicas do racismo na história da humanidade.  “Na BlackBox de janeiro de 2020, em parceria com a Editora Letramento, disponibilizamos aos nossos leitores o mais novo lançamento no Brasil, a tradução em português do Best-Seller Why I’m No Longer Talking to White People About Race – “Por que não converso mais com pessoas brancas sobre raça” (2019) da premiada jornalista britânica Reni Eddo-Lodge”, diz Mirtes.

Imprescindível para todo mundo!

Este é um assunto que precisa ser tratados por todos e é por isso que os assinantes da Pretaria já se espalham pelo Brasil, desde o Amapá até o sul do país na divisa com o Paraguai e se estende pelos Estados Unidos e Cabo Verde,  no continente africano. “Nós estamos desenvolvendo nossa plataforma que já está no ar e apresentamos os planos de assinaturas mensal, semestral ou anual para todos os públicos adultos, ou seja: negros que queiram aprofundar na literatura antirracista; ou para brancos que reconhecem a imprescindibilidade de uma formação antirracista especializada.

Mas a grande novidade do Clube Pretaria é que em breve lançará o Plano Infanto-Juvenil para contemplar crianças e adolescentes – público primordial para a formação antirracista e construção de uma sociedade mais justa e informada -. “Em breve disponibilizaremos também um canal de diálogo com o leitor para compartilhamento de opiniões e esclarecimentos sobre os planos e as obras selecionadas pela curadoria”, avisa.

Para saber mais acesse www.pretaria.com.br 

Deixe uma resposta